Moda

“Eu não quero olhar para o espelho aso 70 anos e me odiar”, diz Preta Gil sobre o envelhecimento

Em entrevista, cantora falou sobre o preço alto pago pelas mulheres por tentarem “segurar a rédea do tempo”

Reprodução / Instagram

Em um bate-papo descontraído para o podcast QUEM PODE, POD, apresentado por Fernanda Paes Leme Giovanna (39) e Ewbank (36), a cantora de Preta Gil (48) abriu o coração sobre assuntos bastante íntimos mas que geram identificação entre muitas mulheres. O envelhecimento é um desses assuntos sensíveis.

ANÚNCIO

“Todo dia é uma questão: ai é o cabelo branco, é a ruga, ‘o que eu faço?’ Vou ficar lutando e fazendo mil procedimentos? Até aonde eu vou?”

Cabelos Brancos

Preta contou que durante a pandemia teve mais tempo para se olhar e explorar o autoconhecimento. Assumir os fios brancos, atitude que muitas mulheres aderiram durante o isolamento social, não foi uma decisão que chegou de forma confortável para ela:

“Na pandemia não tinha quem pintasse meu cabelo e eu fui deixando crescer, um, dois três dedos, comprei a tinta para pintar em casa mas tinha preguiça. Passava na frente do espelho e achava estranho”

Por meio de muita terapia e reflexão, Preta entendeu que aquele não gostar não havia nascido dentro dela, mas que vinha de uma estrutura social:

“Eu entendi que toda vez que eu não gostasse ou estranhasse alguma coisa em mim, era aí que eu tinha que observar. Entender da onde minha esse não gostar. Porque esse não gostar vem de uma estrutura. Uma estrutura que é muito preconceituosa. Uma estrutura que disse para a mulher que ela envelhece e que ela é descartada. Que cabelo branco é sinal de velhice, velhice é fim de vida e acabou”.

Não tem pra onde fugir

Por fim, Preta fez um convite para que as mulheres repensem no que vão fazer com suas frustrações, afinal, a passagem do tempo não é algo que possa ser evitado:

ANÚNCIO

“Vamos começar a vivenciar as etapas da vida naturalmente como elas são?”

Ela ainda reforça que para isso não é preciso deixar de ser vaidosa, e que tampouco essas transformações chegam sem angústias ou questionamentos.

Siga e compartilhe

Você gostou deste conteúdo? Então siga a NOVA MULHER nas redes sociais para acompanhar mais novidades e ter acesso a publicações exclusivas: estamos no Twitter, no Instagram e no Facebook.

Aproveite e compartilhe os nossos textos. Seu apoio ajuda a manter este site 100% gratuito. Cada contribuição é muito valiosa para o trabalho da nossa equipe de redatores e jornalistas.

ANÚNCIO

Recomendado:

Tags


Últimas Notícias